Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página inicial > Últimas notícias > Parceria entre empresas e Prefeitura para novas soluções tecnológicas
Início do conteúdo da página

Parceria entre empresas e Prefeitura para novas soluções tecnológicas

  • Publicado: Segunda, 14 de Janeiro de 2019, 14h28
  • Acessos: 241

evento.codel.VP

Por meio do Chamamento Público lançado nesta sexta-feira (11), projetos criados por empresas locais poderão ser aplicados na Prefeitura para validação ou aperfeiçoamento

Uma parceria inédita entre a Prefeitura de Londrina, por meio do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (CODEL), com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), vai viabilizar a aproximação de empresas e startups de tecnologia com o poder público municipal. A iniciativa foi formalizada nesta sexta-feira (11) com o lançamento oficial do Edital de Chamamento Público nº 002/2018, para Apresentação de Soluções Inovadoras. O evento ocorreu no gabinete do prefeito Marcelo Belinati.

evento.codel.V2Com a medida, a Codel irá intermediar, junto a uma comissão composta por representantes do Sebrae e Senai, a aplicação de novas tecnologias locais em diversas esferas da administração municipal. Durante o lançamento do edital, foi assinado o primeiro termo de cooperação técnica originário deste programa. O acordo fará a implantação do projeto Sport Training System, um sistema de gerenciamento esportivo desenvolvido pela empresa londrinense DG Digital, na Fundação de Esportes de Londrina (FEL).

O prefeito ressaltou que a medida vai oportunizar às startups da cidade de Londrina, que desenvolvem produtos na área de tecnologia, benefícios à população com as soluções que elas desenvolvem. Ao mesmo tempo, vai possibilitar que elas tenham um case de sucesso, mostrando se o produto delas realmente é viável. “Londrina hoje tem aproximadamente 2 mil empresas de Tecnologia da Informação (TI). Desde que assumimos a prefeitura buscamos ampliar a parceria com as entidades, com o Arranjo Produtivo Local (APL) de TI, e foram muitas conquistas, as quais fortaleceram este segmento”, disse.

evento.codel.V3Dentre elas, o prefeito citou a vinda da empresa Tata Consultancy Services (TCS) a Londrina, segunda maior empresa de TI do mundo, uma indústria limpa que vai gerar 4 mil empregos diretos na cidade; instalação do escritório do Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer (CTI) em Londrina; o escritório regional da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI); o Tecnocentro, que está em fase de construção, o hub de inteligência artificial no SENAI, que poderá dar assistência a 5 mil empresas do Brasil.

De acordo com o presidente da Codel, Bruno Ubiratan, o chamamento público para apresentação das soluções inovadoras quer alcançar as duas mil empresas existentes na cidade, atuantes na área de tecnologia da informação. “Será a primeira vez, na história de Londrina, que essas empresas de tecnologia e inovação vão conseguir trabalhar junto com a instituição Município de Londrina. Elas, com todos os seus cases, vão se implantar no Município e desenvolver soluções, sejam de software ou inteligência, de acordo com as necessidades de cada secretaria. Faremos tudo o que for necessário para criar um ambiente melhor na Prefeitura, com mais tecnologia e inovação, reduzindo gastos e melhorando o desempenho”, frisou.

evento.codel.V4Para Ubiratan, os benefícios com a parceria serão para ambas as partes. “Isso vai ser muito importante para as empresas. Não haverá custo para a Prefeitura, mas depois elas poderão vender para o Brasil inteiro a solução dada para o nosso Município. É algo inovador para a cidade, que vai gerar um produto aperfeiçoado”, destacou.

A diretora de Ciência e Tecnologia da Codel, Renata Passi, reforçou que a Prefeitura de Londrina - que possui cerca de dez mil servidores ativos na administração direta e indireta - é um ambiente propício para fazer a validação de tecnologias aplicáveis no serviço público. “E isso é uma vantagem para essas empresas e startups, que vão ter a oportunidade de testar seu produto em uma cidade de porte considerável, podendo desenvolver e validar essa tecnologia ou, a partir disso, corrigir os erros que possam surgir. Isso contribui para finalizar e aprimorar o produto, tornando-o apto a ser comercializado no Brasil e, por que não, em outros países”, considerou.

O gerente regional do SEBRAE, Fabrício Bianchi, enfatizou que este é um momento muito importante para a cidade e para todas as startups. Segundo ele, as empresas encontram muitas dificuldades para testar seu modelo de negócio na cidade, para depois alcançar o mercado nacional e internacional. “Aqui existe uma oportunidade única, pois é um salto tremendo poder trazer isso para a prática. Com isso, Londrina poderá desenvolver negócios que tragam soluções com o viés de uma cidade inteligente, podendo melhorar, cada vez mais, a experiência do cidadão e do visitante da cidade”, detalhou.

O gerente regional do SENAI, Henry Carlo Cabral, compartilha da mesma opinião. “Nós, que estamos todos os dias em contato com empresas e startups, percebemos que a maior dificuldade delas é testar o seu produto em situação real. Por isso, esta iniciativa que acontece hoje é fantástica, é mais uma ação do município, dentre as várias que estão sendo realizadas, para geração de novos negócios”, apontou.

Critérios - Um dos principais critérios estabelecidos no edital determina que podem inscrever seus projetos pessoas jurídicas estabelecidas, com fins lucrativos ou não, que obrigatoriamente tenham sede em Londrina e estejam com suas obrigações legais em dia. “Esse é o nosso principal objetivo: aproximar as soluções inovadoras do Município, gerando ganhos ao cidadão, já que a maioria das propostas facilita e amplia a qualidade dos serviços públicos”, disse Renata.

As empresas e entidades interessadas em participar devem protocolar junto a Codel a proposta do seu projeto, explicando em detalhes quais as suas funcionalidades e aplicações, acompanhada do comprovante de inscrição do CNPJ. A sede do instituto fica localizada na Avenida Castelo Branco, 570.

Em seguida, a proposta será examinada por uma comissão, que conta com representantes do Sebrae, Senai e Codel. Dentre os critérios analisados, estão a clareza dos objetivos, adequação às atividades do Município e viabilidade das metas. A classificação final poderá ser conferida em publicação no Jornal Oficial do Município e na página do Instituto de Desenvolvimento, link www.londrina.pr.gov.br/codel . Após a divulgação, os proponentes dos projetos aprovados deverão apresentar os documentos exigidos em edital para que seja firmado o acordo de cooperação.

Os acordos terão um prazo inicial de 12 meses de duração, mas poderão ser prorrogados por igual período. “O edital nº 002/2018 contempla, em anexo, o termo que será firmado entre a Prefeitura e essas instituições, cumprindo os requisitos legais para tal parceria. Cremos que essa é uma das funções da Codel: desenvolver o ecossistema de tecnologia e inovação já existente no Município. Observamos um cenário muito favorável em Londrina e isso se prova com a vinda da empresa TCS pra cá, as universidades existentes, o anúncio de recursos para as obras do Tecnocentro, por meio do governo do Estado, e tudo isso é um conjunto muito positivo para as empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação”, complementou Renata.

Gerenciamento esportivo – Com a publicação do Edital 002/2018 no mês de dezembro, houve a inscrição e aprovação do primeiro projeto, que é o Sport Training System. A proponente Danhara Gomes, CEO da startup, explicou que o System é uma aplicação web que envolve todas as áreas relacionadas à gestão técnica do esporte.

O sistema é alimentado com dados fornecidos pelo usuário e auxilia no gerenciamento dos treinos ao emitir planilhas com relatórios e resultados periódicos. “Chamamos o System de comissão técnica completa, multidisciplinar, integrada e automatizada. Nele, são cadastrados as pessoas, que são os atletas, profissionais ou amadores, e os ativos, como materiais esportivos, quadras e ginásios. O System abrange módulos de detecção e gestão do talento, administrativo, saúde e gestão de treino. Dentro de um único espaço ele consegue centralizar as informações de qualquer usuário, em qualquer fase da vida. Então basicamente trata-se de um mega banco de dados, onde muitas das atividades diárias dos profissionais de esporte são automatizadas”, detalhou Danhara.

A aplicação será implementada para uso da FEL e a expectativa é contribuir para o Programa Futuro, que oferece práticas esportivas diversas a pessoas de todas as idades e deve ser ampliado neste ano, ocupando mais bairros em todas as regiões da cidade. “A implantação será imediata. Logo após assinarmos o termo, será enviado um link para a FEL, com login e senha, e o System estará pronto para uso. Fico muito feliz que a Prefeitura de Londrina tenha caminhado para solucionar essa demanda e que agora muitas outras pessoas vão poder usufruir”, comemorou a CEO.

O presidente da FEL, Fernando Madureira, salientou que o esporte é uma ferramenta transformadora. Para ele, a comunidade, o estado, a cidade e o país que investem nesta área, investirão menos em outras políticas, como saúde, entre outras. Sobre o programa, Madureira destacou ele permitirá analisar se o atleta está realmente tendo evolução, se determinada região precisa de mais infraestrutura e investimentos que outras, se o equipamento está ideal, dentre outros detalhes. “Com estratégia e planejamento é possível evoluir no esporte e é isto que visamos aqui”, afirmou.

O assessor de esportes da FEL, Sandro Henrique dos Santos, adiantou que a equipe técnica da Fundação, composta por professores e estagiários, deve passar por um treinamento para melhor utilizar a ferramenta. “A ideia é aplicar três avaliações, sendo uma no início do ano, outra no meio e outra no final, para termos uma noção de como foi esse ano de trabalho. O System vai nos permitir identificar o que precisa melhorar, manter o que já está indo bem, e ainda vai produzir um relatório geral, com todos os cadastros, de todos os grupos envolvidos, ao final do ano”, citou.

Santos comentou ainda a possibilidade de acompanhamento dos participantes do Programa Futuro, através das análises feitas com a metodologia do System. “Isso vai nos orientar, de maneira mais precisa, com dados obtidos cientificamente. Por exemplo, sabemos que na comunidade em geral o índice de sobrepeso é alto; com os dados fornecidos pelo System vamos checar isso, trabalhando com informações mais diretas e específicas dos nossos grupos. Temos a expectativa de ampliar o nosso número de estagiários então ele vai auxiliar bastante, substituindo as planilhas e o acompanhamento manual”, exemplificou.

A íntegra do Edital de Chamamento Público nº 002/2018 foi publicada na edição nº 3.682 do Jornal Oficial do Município, disponível no portal da Prefeitura de Londrina. Ele também pode ser acessado pela página da Codel, diretamente no link http://bit.ly/EditalCodel.

Também estiveram presentes na solenidade o vice-prefeito, João Mendonça; o deputado federal, Alex Canziani; o reitor da Universidade Estadual de Londrina (UEL), Sérgio Carlos de Carvalho; o fundador do System, Antonio Carlos Gomes; o presidente do APL de TI, Gilmar Machado; o secretariado municipal e outras representantes da sociedade civil organizada.

Foto: Vivian Honorato

registrado em:
Fim do conteúdo da página