Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página inicial > Notícias > Londrina recebe atividades do Eco.TIC Nova 2022 nesta quarta-feira (24)
Início do conteúdo da página

Londrina recebe atividades do Eco.TIC Nova 2022 nesta quarta-feira (24)

  • Publicado: Quarta, 24 de Agosto de 2022, 13h07
  • Acessos: 161
imagem sem descrição.

Em edição especial, iniciativa une dois eventos de destaque que completam dez anos em Londrina e Maringá; prefeito Marcelo Belinati participou on-line da abertura feita hoje (23), em Maringá

 

 Um dos maiores eventos de tecnologia do Sul do Brasil, o Eco.TIC Nova 2022, será realizado em Londrina nesta quarta-feira (24), mobilizando profissionais, empresas de tecnologia em geral, estudantes e demais interessados na área de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC). A iniciativa, em sua 10ª edição, é um especial para celebrar uma década de existência do Eco.TIC, de Londrina, e também do TicNova, de Maringá, unindo e fortalecendo, em um mesmo evento, os ecossistemas de TIC que são destaques nas duas cidades e suas respectivas regiões.

 

O objetivo das atividades, neste ano integradas, é impulsionar o desenvolvimento do Norte e Noroeste do Paraná, estabelecendo conexões e diálogos para estimular ambientes inovadores e pujantes no segmento TIC.

 

A programação do Eco.TIC Nova 2022, de forma geral, abrange palestras, painéis e cases de negócios de sucesso. O cronograma completo pode ser conferido no site do evento, que ocorre em formato híbrido com ações on-line – transmitidas para todo o Brasil – e presenciais, estas já com as vagas esgotadas.

 

As atividades iniciaram hoje (23), em Maringá, e o prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, fez uma participação da abertura, de forma remota. Ele cumprimentou e parabenizou todos os participantes envolvidos e destacou a importância do setor tecnológico.

 

“A área de tecnologia de informação e inovação está transformando o mundo. Aqui em Londrina, 10% do PIB, ou seja, de todas as nossas riquezas, hoje advém da área de tecnologia de informação, que agrega milhares de empresas pequenas e startups, médias e grandes, e multinacionais como a Atos e a Tata (TCS), por exemplo, que chegou agora a 1.700 funcionários na cidade. Além disso, temos uma legislação avançada que estimula o crescimento do setor e o hub de inteligências artificial. Enfim, temos todo um ecossistema organizado”, frisou.

 

Segundo o prefeito de Londrina, eventos como o Eco.TIC Nova buscam a aproximação de pessoas, empresas, a troca e compartilhamento de conteúdo e tendências. “Essa articulação estimula a competitividade e geração de negócios tanto para o Norte como o Noroeste do Paraná. Todo mundo ganha e sai mais forte desse evento”, acrescentou.

 

Em Londrina, nesta quarta-feira (24), a agenda do evento terá início com credenciamento às 13h, na Chácara Graciosa, localizada na rua Akira Yoshii, 177. A abertura oficial será às 14h, e, a partir das 14h30, começará a palestra de abertura “Liderança remota: os desafios de um novo mundo para retenção de talentos”, com Suzie Clavery, cofundadora do Employer Branding Brasil.

 

Depois, haverá painéis sobre negócios empresariais e cases de sucesso, às 15h25, e com o tema Metaverso, às 16h05. A palestra magna do evento, chamada “Oportunidades e tendências na Transformação Digital”, será conduzida por Luís Lobão, professor e conselheiro de empresas, especialista em estratégia com ênfase em crescimento.

 

Quem tiver interesse em se inscrever para as atividades on-line, cuja participação é gratuita, pode acessar o endereço https://evento.ecoticnova.com.br/informacoes.

 

Para o diretor de Ciência e Tecnologia da Codel, Roberto Moreira, o Eco.TIC Nova, agregando eventos de referências no Paraná, representa um passo importante para fortalecer a união entre Londrina e Maringá no setor de TIC. Ele está em Maringá acompanhando as atividades do primeiro dia. “Esse movimento é fundamental para possibilitar essa integração, e fará com que Londrina consiga ter ainda mais expressão e alcance no Paraná e no Brasil”, disse.

 

Moreira acredita que, enquanto poder público, a Prefeitura de Londrina e a Codel reforçam seus laços com a Prefeitura de Maringá, com a nova agência de inovação criada lá, a AMTECH, bem como com a Superintendência Geral de Inovação do Paraná, que também está participando do evento. “Ainda há o Sebrae, as agências e toda a cadeia de inovação presente. O evento é histórico, unindo duas cidades influentes desse porte, e só podemos colher bons resultados para as empresas da cidade e o poder municipal”, reforçou.

 

A Prefeitura, por meio do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel), é uma das apoiadoras do evento. A realização é do Sindicato da Indústria de Tecnologia da Informação do Paraná (TI Paraná), da Associação Brasileira de Tecnologia, Inovação e Comunicação (Abratic), e do Arranjo Produtivo Local de Tecnologia da Informação e Comunicação (APL de TIC) de Londrina e Região. Esta edição é realizada também pela Software by Maringá, pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e pelo Sistema da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep).

 

Esforço conjunto – O número de postos de trabalho ofertados em TIC pelos municípios dos ecossistemas cresceu nos últimos 12 anos entre 250% e 500%. Em Maringá os empregos formais em serviços de TI ofertados, aproximam-se dos 5 mil, com expectativa para 2022 de quase 6.500 postos de trabalho (fonte AMTECH).

 

Em Londrina, a APL de TIC (Arranjo Produtivo Local de TIC) registra cerca de 1.500 empresas de base tecnológica só no município, com um total aproximado de 2.300 empresas distribuídas entre Cornélio e Apucarana.

 

Os dados do setor mostram a importância dos dois ecossistemas regionais, que segundo as entidades organizadoras do Eco.TIC Nova, impulsionam o desenvolvimento regional e a inovação em todas as áreas, devido a um movimento de TIC forte no Norte e Noroeste do Estado e a transversalidade do segmento.

 

A força do segmento – Esta realidade fez com que diversas empresas de base tecnológica se instalassem nas regiões, além das entidades, instituições de ensino e pesquisa terem ampliado os números de cursos de graduação, pós, mestrados e doutorados na área; e terem criado laboratórios, centros tecnológicos, hubs e parques tecnológicos. A região dos ecossistemas apresenta 28 universidades com curso de TIC e mais de 30 cursos técnicos.

 

Entre os ativos do setor estão, em Londrina, o Instituto Senai de Tecnologia, único no país; o Hub de Inteligência Artificial da Fiep/CNI, a instalação da Tata Consultancy Services, o Centro de Inovação e Operações da Atos, a Trimble Brasil Soluções, a Incubadora da UEL- Intuel e da PUC Londrina – Hotmilk, a UTFPR, o Parque Tecnológico Agro SRP Valley, o Tecnocentro Londrina, Smart Value, Ti Paraná, Abratic e APL de TIC.

 

Em Maringá, registramos a AMTECH (Agência Maringá de Tecnologia e Inovação); Incubadora de Maringá, Parque Tecnologico MaringáTech, TECPAR, Parque Tecnológico de Maringa PTIM, os ambientes de inovação Evoa Aceleradora, Engenium Park do Sinduscon, Inspira Space do Unicesumar, Enactus da UEM, Inovus da ACIM, Speed Lab da Tecnospeed, DB1 Global, Benner, Open Lab Senai, Orbital, Smart Space, Hacker Space.

 

O grande “gargalo” do setor, que é a falta de mão de obra qualificada, reflete também nos outros segmentos e é sempre discutido nos eventos do setor. Dados da Brasscom (Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação e de Tecnologias Digitais) mostram que até 2024 serão necessários 420 mil profissionais para o segmento, que forma no mercado, anualmente, em torno de 50 mil.

 

 

Texto: Renan Oliveira, com informações da Assessoria de Imprensa do evento.

registrado em:
Fim do conteúdo da página