Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página inicial > Notícias > Pesquisadora chinesa realiza estudos no Instituto de Desenvolvimento de Londrina
Início do conteúdo da página

Pesquisadora chinesa realiza estudos no Instituto de Desenvolvimento de Londrina

  • Publicado: Segunda, 18 de Julho de 2022, 13h43
  • Acessos: 131
imagem sem descrição.

Hongyu Pan conduz pesquisas na área de capacitação profissional para TI; iniciativa integra o programa Summer Fellowship, desenvolvido pela Prefeitura de Londrina e Universidade de Columbia

 

A estudante chinesa Hongyu Pan, que cursa bacharelado em Economia e História na Universidade de Columbia, em Nova York, está realizando pesquisas no Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel) desde 4 de julho, quando chegou à cidade. A iniciativa é conduzida por meio do programa Summer Fellowship, desenvolvido em parceria entre a Prefeitura de Londrina e a Universidade de Columbia.

 

Focado na área de tecnologia da informação (TI), o trabalho de Pan visa apresentar propostas para o aperfeiçoamento de iniciativas como o programa EmpregaTech, voltado a capacitar jovens de 17 a 25 anos para os setores de TI e em inglês avançado. Entre os métodos de pesquisa utilizados pela estudante, estão entrevistas e questionários conduzidos junto a alunos de instituições de nível superior, professores universitários e empreendedores do setor de tecnologia e inovação.

 

Pan destacou que, de acordo com a Codel, Londrina tem um grande número de startups e empresas de tecnologia, o que gera uma demanda significativa por profissionais qualificados nesses segmentos. “O objetivo da minha pesquisa é ajudar a Codel a implementar mais programas e uma estratégia de longo prazo voltada a capacitar um número maior de trabalhadores de TI. Escolhi esse tema porque tenho interesse no modo pelo qual a iniciativa privada e o governo trabalham em parceria, e acredito que as transformações socioeconômicas são proporcionadas pela atuação conjunta de diferentes setores”, disse.

 

A estudante, que fica em Londrina até 22 de julho, salientou que também pretende analisar iniciativas realizadas na área de TI pelas secretarias municipais de Educação (SME) e do Trabalho, Emprego e Renda (SMTER). “Estive na Escola Municipal Maestro Roberto Pereira Panico, onde é desenvolvido o programa WASH, e me impressionei com a qualidade das atividades conduzidas junto aos alunos. A escola onde cursei o ensino fundamental, na China, não conta com equipamentos como a impressora 3D que eles possuem lá”, frisou.

 

Ainda segundo Pan, é muito positivo poder participar de projetos de pesquisa envolvendo países em desenvolvimento. “Assim como o Brasil, a China também é um país em desenvolvimento, e por isso tenho interesse em iniciativas como o programa Summer Fellowship, que contemplam essas nações. Anteriormente, desenvolvi pesquisas sobre organizações não-governamentais atuantes no Quênia, e também foi uma experiência marcante. Estou gostando muito de Londrina, pois as pessoas daqui são hospitaleiras e afetuosas, sempre dispostas a ajudar, e o clima também é bastante agradável, mesmo no inverno. Entre os lugares que visitei aqui, está o Museu Histórico, onde aprendi mais sobre o passado da cidade e inclusive conheci um trem antigo, que achei muito interessante”, afirmou.

 

Conforme o diretor de Ciência e Tecnologia da Codel, Roberto Moreira, é muito importante para o Instituto poder receber uma aluna de uma universidade renomada internacionalmente, o que traz novas perspectivas para enfrentar os desafios vivenciados por Londrina. “A qualificação de mão de obra para o setor de TI é uma demanda vivenciada por cidades do mundo inteiro, e aqui em Londrina temos muitas vagas em aberto nessa área. Por isso, precisamos pensar em soluções para atrair novos talentos para a cidade e gerar oportunidades para as pessoas. Então, ficamos muito gratos por ela ter escolhido a Codel para desenvolver esse projeto e esperamos implementar as soluções elaboradas e avançar cada vez mais”, pontuou.

 

Atuação presencial – O programa Summer Fellowship é realizado pela Prefeitura de Londrina, através da Secretaria Municipal de Governo (SMG), em parceria com o pesquisador londrinense e Embaixador do Município, Pedro Arcain Riccetto. Tendo sido promovida no ano passado, a primeira edição da iniciativa contou com a participação, de forma remota, de dois estudantes da Universidade de Oxford, na Inglaterra (saiba mais).

 

Em 2022, quatro estudantes da Universidade de Columbia participam das atividades. Além de Pan, o estudante Suleyman Ahmed, que cursa bacharelado em Desenvolvimento Sustentável, também realizou pesquisas em Londrina entre 20 de junho e 7 de julho. Também integram as ações, de forma remota, as estudantes Alexa Chan e Sakshi Sharma.

 

O programa conta com reuniões virtuais semanais, e envolve servidores da SMG, do Núcleo de Comunicação (NCom), do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel), da Secretaria Municipal de Fazenda (SMF) e da Diretoria de Tecnologia da Informação (DTI) da Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Tecnologia (SMPOT).

 

A administradora da Secretaria Municipal de Governo e coordenadora do programa Summer Fellowship, Liz Rodrigues, afirmou que o trabalho desenvolvido presencialmente, com os estudantes estrangeiros que vêm a Londrina, tem sido muito produtivo. “Receber esses estudantes pessoalmente tem sido uma experiência muito rica, porque levar eles in loco para conhecer o que estão pesquisando faz toda a diferença. Eles têm a oportunidade de conversar com os técnicos, aprender mais sobre as atividades desenvolvidas pela Prefeitura, visitar obras em andamento e conhecer os serviços municipais. Por isso, considero que a evolução do projeto é muito positiva”, disse.

 

 

Para a imprensa: outras informações podem ser obtidas com a administradora da Secretaria Municipal de Governo, Liz Rodrigues, pelo telefone (43) 3372-4031.

 

Texto Ulisses Sawczuk

registrado em:
Fim do conteúdo da página