Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página inicial > Notícias > Prefeitura reafirma parceria com a garantidora de crédito Garantinorte
Início do conteúdo da página

Prefeitura reafirma parceria com a garantidora de crédito Garantinorte

  • Publicado: Terça, 10 de Maio de 2022, 16h36
  • Acessos: 45
imagem sem descrição.

Por meio da parceria, desde 2020 foram concedidos 500 empréstimos e R$ 28.737.520 em financiamento; no momento, ainda estão disponíveis R$ 37 milhões para empréstimos voltados a micros, pequenas e médias empresas

 

Na manhã desta terça-feira (10), a Prefeitura de Londrina reafirmou a parceria com a Garantidora de Crédito a serviço do Desenvolvimento do Norte do Paraná (Garantinorte), confirmando o compromisso do Município com os micros, pequenos e médios empresários de Londrina. O anúncio aconteceu na sede da Garantinorte, parceira da Associação Comercial de Londrina (Acil). Além de reafirmar o compromisso, durante a reunião, foi divulgado o desempenho desta parceria que começou em 2020, no início da pandemia da Covid-19.

 

O objetivo da união entre o Executivo e a Garantinorte foi buscar uma alternativa de crédito para ajudar os pequenos empresários a passarem pela pandemia. Na época, a Prefeitura de Londrina fez um aporte de R$ 5 milhões ao fundo garantidor de crédito, quantia que garantiu um montante de mais de R$ 50 milhões para empréstimos. A iniciativa também conta com incentivo da Acil, Câmara de vereadores, Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel) e Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

 

De acordo com os dados divulgados pela Garantinorte, desde 2020 já foram concedidos 500 empréstimos e R$ 28.737.520 em financiamento. No momento, ainda estão disponíveis R$ 37 milhões para empréstimos, que podem impactar positivamente a economia e os negócios empresariais da cidade, como comércio, prestadores de serviço e indústrias.

 

O convênio dá suporte à economia local, facilitando o acesso a um crédito com melhores taxas, prazos e parcelamentos, condições que dificilmente estão disponíveis para as empresas de pequeno porte, principalmente em situações adversas como foi a pandemia e esse momento atual de recuperação. Além disso, o investimento estimula os empreendimentos e o desenvolvimento de diversas formas: criação de capital de giro, aumento de estoque, investimento em equipamentos, investimento na estrutura física, ampliação do negócio, retomar o poder econômico pós pandemia, entre outras melhorias.

 

Por meio da Garantinorte, o empresário pode conseguir crédito de R$ 15 mil até R$170 mil. O empréstimo pode ser parcelado em até 60 vezes, com taxa a partir de 0,65% ao mês + CDI e até três meses de carência. Em média, as taxas de juros cobradas pelo mercado estão em torno de 3,5% ao mês.

 

O prefeito Marcelo Belinati disse que os empréstimos feitos por meio desta parceria foram fundamentais para que as micros, pequenas e médias empresas de Londrina pudessem passar pelo momento difícil do início pandemia. “Naquele momento, estes recursos puderam salvar muitas empresas. Agora, estamos em um segundo momento, pois ainda há R$ 37 milhões disponíveis para empréstimos, para que estes empresários possam expandir seus negócios, fazer uma filial, gerar emprego, renda e movimentar, ainda mais, a economia da cidade”, apontou.

 

A diretora-executiva da Garantinorte, Joyce Giron, disse que a ideia, do encontro desta manhã, é relançar o fundo. “Em 2020, foram aportados pelo Município R$ 5 milhões que possibilitaram alavancar até R$ 50 milhões em garantias de capital de giro ou investimento. Destes R$ 50 milhões conseguimos colocar, no mercado, cerca de R$ 30 milhões, sendo que R$ 10 milhões já foram pagos em dia. Com isso, estamos reforçando que ainda temos R$ 37 milhões para o empresário londrinense, desde o MEI até a média empresa. Este recurso pode ser usado para capital de giro ou para investimentos”, informou.

 

Giron ressaltou, ainda, a importância deste recurso no atual momento, pós-pandemia. “Agora, muitos empresários estão tomando o crédito para fazer investimentos, para ampliar a empresa, contratar funcionários, abrir e-commerce, expandir a área de marketing digital, comprar equipamentos, entre outros investimentos. Este crédito foi fundamental na pandemia e continua sendo muito importante neste momento, pois com a garantia do fundo da Prefeitura a tendência é que as instituições financeiras coloquem uma taxa de juros menor, para as micro e pequenas empresas londrinenses”, disse.

 

Uma das empresas que buscou o crédito da Garantinorte, em 2020, foi a Clínica Sinergia – Centro de Reabilitação Multidisciplinar. Na ocasião, a empresa emprestou R$ 60 mil. Segundo um dos sócios da empresa, Henrique Augusto Ress Chaves, o recurso foi fundamental para manter a empresa em funcionamento. “No final de 2019 tínhamos acabado de abrir a clínica e, logo em seguida, houve a pandemia, causando o fechamento das instalações da clínica. Para a abrir a empresa investimos recursos próprios e em quatro meses tivemos que fechar as portas diante da pandemia e, com isso, não tínhamos mais dinheiro para manter a clínica. Então ficamos sabendo da Garantinorte e através dela conseguimos fazer um empréstimo e manter a clínica durante todo o período da pandemia, usando o recurso para capital de giro. Hoje, estamos conseguindo caminhar com nossas próprias pernas e se não fosse a Garatinorte teríamos fechado a empresa”, contou.

 

A outra sócia da empresa, Ana Carolina Ress Chaves Bianchi, expôs a dificuldade da empresa em se encaixar entre as linhas de crédito disponíveis na ocasião. “Havia muitas linhas de crédito disponíveis, mas a nossa empresa não conseguia se encaixar porque tinha menos de um ano de CNPJ. Além disso, se conseguíamos o crédito a taxa de juros era muito alta, por não termos uma garantia. Foi quando a Garatinorte abriu essa linha e conseguimos nos encaixar”, lembrou.

 

O presidente da Codel, Bruno Ubiratan, reforçou a importância da parceria do executivo com a Garantinorte. “Já foram gerados R$ 30 milhões em créditos, em um momento tão delicado como a pandemia, que castigou o pequeno empresário. Este dinheiro permitiu dar um fôlego para o empresário e é um recurso que fica na cidade, movimentando a economia do município”, destacou.

 

O presidente da Federação da Associações Comerciais e Empresariais do Estado do Paraná (Faciap), Fernando Moraes, disse que a parceria foi fundamental para os empresários, no início da pandemia, e continua sendo importante neste momento. “Estes créditos ajudaram muitos empresários a sobrevirem e agora vai ajudar os empresários que precisam se planejar para crescer, no pós-pandemia”, enfatizou.

 

Durante o encontro, o gerente regional norte do Sebrae/Pr, Fabricio Bianchi, ressaltou que a iniciativa foi pioneira no Brasil e inspirou outras cidades do Paraná a lançarem iniciativas parecidas. “Me lembro do dilema que estávamos vivendo para auxiliar os empresários no início da pandemia e surgiu esta oportunidade, devido à sensibilidade do executivo e do legislativo em enxergar as dificuldades dos empresários. Parabéns a todos os envolvidos nesta ação, que foi muito importante para as micros, pequenas e médias empresas de Londrina”, apontou.

 

Entre os presentes no encontro, também estiveram o vice-prefeito, João Mendonça; o chefe de Gabinete, Moacir Sgarioni; o secretário de Gestão Pública, Fábio Cavazotti; o presidente da Garantinorte, Rodolfo Zanluchi; o presidente da Câmara, Jairo Tamura; e a presidente da Acil, Marcia Manfrin.

 

Como acessar o recurso – O empreendedor que tiver interesse pelo recurso pode entrar em contato com a Garantinorte (www.garantinortepr.com.br/43 3323-5031). O processo passa por uma análise e pelo pedido de uma carta de garantia de crédito, emitida pela Garantinorte. Essa carta autoriza a obtenção do empréstimo nas instituições credenciadas.

 

Podem acessar o recurso os Microempreendedores Individuais (MEIs), micro, pequenas ou médias empresas de Londrina. O MEI deve ter, pelo menos, um ano de atividade. Os demais portes precisam ter, no mínimo, seis meses de atividade. Além disso, não pode haver restrições no CNPJ da empresa ou no nome dos sócios.

 

 

Texto Dayane Albuquerque

registrado em:
Fim do conteúdo da página