Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página inicial > Notícias > Londrina participa do 8º Congresso Paranaense de Cidades Digitais e Inteligentes
Início do conteúdo da página

Londrina participa do 8º Congresso Paranaense de Cidades Digitais e Inteligentes

  • Publicado: Sexta, 08 de Abril de 2022, 10h43
  • Acessos: 234
imagem sem descrição.

Projeto da rua Sergipe, primeira via inteligente a receber o programa Conecta, da ABDI, será apresentado por Roberto Moreira, diretor de Ciência e Tecnologia da Codel

 

 

O Município de Londrina estará representado no 8º Congresso Paranaense de Cidades Digitais e Inteligentes, principal encontro estadual de tecnologia para prefeituras, que está sendo realizado em Maringá nesta quinta (7) e sexta-feira (8). O diretor de Ciência e Tecnologia do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel), Roberto Moreira, participará do evento, no dia 8, às 9h, abordando o tema “Londrina e a primeira Rua Pública Inteligente do País”. A programação completa pode ser conferida pelo https://sympla.com.br/rcd

 

O encontro, promovido pela Rede Cidade Digital (RCD), ocorre na Unicesumar, tendo sido aberto na manhã desta quinta-feira (7). A iniciativa conta com apoio da Prefeitura de Maringá, Associação de Municípios do Paraná (AMP) e diversas associações de municípios regionais. Prefeitos, gestores e servidores de mais de 100 municípios estão inscritos para o evento que aborda tecnologias voltadas para melhorar a eficiência dos serviços públicos por meio de casos de sucesso de diversas cidades.

 

Referência no Paraná, este congresso, em sua atual edição, traz casos de sucesso em municípios de cinco estados brasileiros, soluções de mercado e informações sobre temas importantes para o poder público como Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), parcerias público-privadas de iluminação pública e o Contrato Público para Soluções Inovadoras (CPSI). O CPSI é um instrumento previsto no Marco Legal das Startups e que será apresentado pelo diretor de Empreendedorismo Inovador na Secretaria de Empreendedorismo e Inovação do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), Marcos Cesar de Oliveira Pinto. Outro destaque serão as políticas públicas do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações.

 

Segundo o diretor de Ciência e Tecnologia do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel), Roberto Moreira, sua apresentação abordará questões referentes à Rua Sergipe, primeira via pública a receber o programa Conecta, da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), que reúne tecnologias de cidades inteligentes, maior conectividade, transformação digital dos negócios e segurança cibernética. A principal rua do varejo de Londrina recebeu, no segundo semestre de 2021, intervenções tecnológicas, incluindo luminárias e semáforos inteligentes, câmeras de reconhecimento facial, de veículos e placas, botoeiras e dispositivos de acessibilidade com comandos integrados, entre outros aparelhos.

 

“O 8º Congresso traz à tona as evoluções tecnológicas desenvolvidas por municípios brasileiros. A partir disso, a ideia é tratar da seguinte questão, por que Londrina foi escolhida para ser a primeira rua pública inteligente do Brasil?. Falarei da Rua Sergipe, que hoje conta com 100% dos novos equipamentos já instalados e funcionando, e também do contexto do ecossistema de inovação da nossa região, incluindo as ações da Prefeitura voltadas a este segmento”, detalhou Moreira.

 

O diretor ainda mencionou que o desafio atual da Prefeitura é sobre como toda a estrutura tecnológica criada poderá ser utilizada para melhorar a rotina dos comerciantes e da população que frequenta a rua Sergipe. “A primeira etapa, de colocação dos equipamentos foi concluída, e agora vem a parte estratégica e de soluções para que a nova tecnologia ofertada possa trazer reais benefícios a todos que utilizam essa via importante da região central de Londrina. Entre as ações estão capacitações para os comerciantes entenderem melhor as possibilidades das tecnologias, podendo utilizar elementos para vender on-line, por exemplo. Também serão feitos testes de cibersegurança para empresários que já estejam mais habituados com o digital. Os aparelhos estão conectados, coletando dados e à disposição para diferentes usos”, informou.

 

Mais sobre o 8º Congresso

 

O prefeito de Maringá, Ulisses Maia, abriu, nesta quinta-feira (7), a série de palestras do evento apresentando as ações adotadas para modernizar e desenvolver a cidade canção.

 

“Seja cidade digital, conectada ou inteligente, o importante é a melhoria da qualidade de vida da população, e os municípios sem o uso da tecnologia estão fadados a ficarem isolados. Por isso, o objetivo do Congresso é reunir os diversos players, prefeitos, empresários e instituições para trazer conhecimentos e facilitar o acesso, principalmente, dos pequenos e médios municípios a tecnologias capazes de contribuir com o desenvolvimento das cidades”, resumiu o diretor da Rede Cidades Digitais, José Marinho.

 

No encontro, os avanços tecnológicos das principais cidades do Paraná, como Londrina, Ponta Grossa e Maringá, e de outros Estados, como Campo Bom (RS) – o quarto município colocado no ranking nacional de facilitadores para novos negócios -, estão sendo apresentados por prefeitos e gestores.

 

As prefeituras do Estado também podem conhecer detalhes das ferramentas tecnológicas adotadas em Rio do Sul, considerada a cidade mais transparente de Santa Catarina, e as ações de cidade inteligente de Campo Grande (MS), eleita a capital mais segura do país, conforme ranking divulgado recentemente. São José dos Campos (SP), a primeira cidade inteligente brasileira com certificação ISO, também é destaque no primeiro dia de Congresso.

 

O 8.º Congresso Paranaense de Cidades Digitais e Inteligentes tem o patrocínio ouro da 1Doc, Elotech, Sigma Telecom e DCA; patrocínio prata da IPM Sistemas, Aprova Digital, CTMGEO, Betha Sistemas, Vox City Tecnologia e Head Net; e apoio institucional da Associação dos Municípios do Paraná (AMP), da Associação Brasileira de Empresas de Soluções de Telecomunicações e Informática (Abeprest) e das Associações de Municípios Comcam, Amcespar, Amunop, Amusep, Amepar, Amop, Amuvi, AMCG, CANTU, Assomec e Amsop.

 

 

Texto Renan Oliveira

registrado em:
Fim do conteúdo da página