Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página inicial > Notícias > Londrina instala placas indicativas em locais por onde passa o Trópico de Capricórnio
Início do conteúdo da página

Londrina instala placas indicativas em locais por onde passa o Trópico de Capricórnio

  • Publicado: Sexta, 21 de Janeiro de 2022, 09h41
  • Acessos: 330
imagem sem descrição.

Por meio de iniciativa da vereadora Professora Sonia Gimenez, e em parceria com o departamento de geociências da UEL, a Prefeitura elaborou e instalou três placas na região sul do município

 

Uma importante linha geográfica imaginária que atravessa Londrina, o Trópico de Capricórnio, agora está devidamente sinalizada no município. Através de indicação legislativa da vereadora Professora Sonia Gimenez, e em parceria com o departamento de Geociências da Universidade Estadual de Londrina (UEL), a Prefeitura de Londrina realizou a confecção e instalação de três placas em pontos por onde o Trópico passa. A sinalização foi colocada na PR-445, Estrada da Mata dos Godoy e Estrada de Maravilha (próxima à Central de Tratamento de Resíduos).

 

Por parte do Município, integraram a iniciativa a Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) e o Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel). Planejadas e confeccionadas pela CMTU, as placas foram instaladas pelo órgão. Anteriormente, os professores Luciano Gomes e Osvaldo Pereira Neto, do departamento de Geociências da UEL, haviam coordenado as atividades de identificação e localização dos pontos geográficos, tendo feito uso de equipamentos de GPS.

 

linha tropico de capricornio divulgação De acordo com a vereadora Professora Sonia Gimenez, a ideia de criar marcos para sinalizar o Trópico de Capricórnio foi inspirada no fato de que outros municípios da região, como Arapongas, possuem totens e monumentos alusivos à linha geográfica. “Há tempos tenho esse desejo, pois na época em que fui professora, meus alunos sempre comentavam que a identificação desses pontos não existia em Londrina, algo que também foi reforçado pelo ambientalista João das Águas. As placas vão permitir que os professores levem seus alunos a esses locais e abordem conhecimentos relacionados à geografia, como a divisão das zonas tropical e temperada e o zênite solar”, afirmou.

 

Bruno Ubiratan Codel ED 1

O presidente da Codel, Bruno Ubiratan, explicou que, além de ampliar o conhecimento dos londrinenses sobre sua região, a iniciativa ajudará a divulgar o município. “Nós, da Codel, acompanhamos essa iniciativa de perto, e ficamos bastante satisfeitos com o resultado. As placas feitas pela CMTU ficaram bonitas e informativas, e certamente serão fotografadas pelas pessoas que passarem por esses locais e compartilhadas nas redes sociais, contribuindo para que Londrina seja divulgada de maneira positiva”, disse.

 

O responsável pela Diretoria Técnica e de Desenvolvimento da Codel, Atacy de Melo Júnior, salientou que a nova sinalização estimulará uma reflexão sobre a posição geográfica de Londrina no mundo. “É importante trazer para o plano concreto essa linha que, apesar de imaginária, tem grande influência sobre a nossa cidade. A localização de Londrina, claramente demarcada nos mapas pelo Trópico de Capricórnio, se relaciona diretamente ao nosso clima, à agricultura desenvolvida na região e à economia. Por isso, essa reflexão aborda também a trajetória da nossa sociedade”, frisou.

 

Trópicos – Em paralelo à linha do Equador, os mapas-múndi possuem duas outras linhas imaginárias traçadas no sentido horizontal: ao norte, fica o Trópico de Câncer, enquanto o Trópico de Capricórnio se localiza no Hemisfério Sul. Ambos possuem latitudes específicas: o Trópico de Câncer está a 23º27′ N (23 graus e 27 minutos norte), enquanto o Trópico de Capricórnio se situa a 23º27′ S (23 graus e 27 minutos sul).

 

Todas as regiões que se encontram entre os trópicos são chamadas de intertropicais, ao passo que as localidades situadas ao norte ou ao sul deles são conhecidas como subtropicais. Durante os equinócios de primavera e outono, ocorre o zênite solar, que é quando a luz do Sol incide de maneira completamente vertical sobre os Trópicos, fazendo com que as sombras de pessoas, animais e objetos não estejam visíveis nesses momentos.

 

 

Texto Ulisses Sawczuk

registrado em:
Fim do conteúdo da página