Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Praças

Publicado: Sexta, 10 de Abril de 2015, 12h36 | Acessos: 2285

Praça Ângelo Cretã

Também conhecida como Mata do Luiz de Sá, a área verde que conta com aproximadamente 62.000 m², seu nome homenageia um grande indigenista. Guarda vários espécimes vegetais da mata original, sendo uma pequena reserva nativa inserida no meio urbano.    

Praça Gabriel Martins

Integrante do conjunto de quatro praças que compõem a elipse central do traçado original de Londrina. Desde a década de 1970, a praça está incorporada ao Calçadão da Av. Paraná. O nome da praça homenageia o primeiro médico a desenvolver atividades sanitaristas em Londrina ao assumir, em 1939, o Posto de Higiene da cidade.   

Praça Getúlio Vargas

Praça que possui desenho irregular triangular devido ao traçado da Rua Quintino Bocaiúva. Nela se encontra um Monumento a Getúlio Vargas (Presidente do Brasil nos mandatos de 1930-1945 e 1951-1954), contendo busto e placa com a transcrição de seu último discurso.

Praça Marechal Cândido Rondon – Bosque Municipal

Importante espaço público configurando a principal área verde do centro da cidade, com área doada pela Companhia de Terras Norte do Paraná. Na década de 1950 o espaço era também composto por viveiros, parque infantil, quadras e vestiários. Em 1971, foi instalado o terminal urbano de transporte coletivo que funcionou até 1978. Possui em seu interior vários monumentos e placas comemorativas. Em 2012 foi transformada em Área de Preservação Permanente, através da Lei Municipal nº 11.471/2012.

Praça Marechal Floriano

Foi a segunda e principal praça criada em Londrina, constando no Plano inicial da cidade desenvolvido por Alexandre Razgulaeff em 1932, com a descrição de “jardim”. Já foi denominada Praça Rui Barbosa, e também é conhecida como Praça da Bandeira, possuindo no seu centro o Monumento denominado “Altar da Pátria”, para as cerimônias de hasteamento da Bandeira que se realizavam no local.
Seu nome homenageia o militar e político brasileiro, primeiro vice-presidente e segundo presidente do Brasil (1891-1894) no período denominado de República Velha.

Praça Nishinomiya

Inaugurada no ano de 1988 em solenidade presidida pelo Pref. Wilson Moreira, representantes da Liderança da Comunidade Nipo-Brasileira e demais autoridades. Projetada pelo arquiteto londrinense Humberto Yamaki, que procurou reinterpretar os Jardins de Pedra Zen, existentes na cidade de Kiyoto no Japão. Além da homenagem prestada aos imigrantes japoneses, o projeto tem como outro objetivo fomentar atividades que permitam maior conhecimento entre ambos os povos, bem como promover o intercâmbio comercial e tecnológico.

Praça Pé Vermelho

A gleba Palhano, na região sul de Londrina, ganha a Praça Pé Vermelho, primeiro logradouro com essa sofisticação a ser implantado naquela região da cidade. A construção da praça é resultado de uma parceria entre Prefeitura de Londrina e construtora Plaenge. No espaço, de quase dois mil metros quadrados, foram inseridos: 28 luminárias em formato de araucária, pisos em petitpavet, entulhos na base das calçadas, bancos de plásticos reciclados com aparência de madeira e 30 variedades de árvores e vegetação rasteira nativas de Londrina e região.

Praça Primeiro de Maio – Concha Acústica

Foto da Praça Primeiro de Maio – Concha Acústica
Foto: Wilson Vieira

É integrante do conjunto de quatro praças que compõem a elipse central do traçado original de Londrina. No local se instalou, na década de 1930, a primeira rodoviária da cidade. Em 1957 com a construção da Concha Acústica, o local passou a abrigar manifestações artístico-culturais, populares e políticas. Importante elemento do cenário cultural da cidade, este monumento e a praça onde se insere são testemunhas da mudança de escala e paisagem do centro de Londrina.

Praça Rocha Pombo

Constitui-se em elemento de ligaçãoentre as antigas estações ferroviária e rodoviária, hoje Museu Histórico e Museu de Arte. Seu desenho é resultado da época em que a praça não contava com benfeitorias, sendo atravessada pelos transeuntes em várias direções, formando diversas “trilhas” que, mais tarde, foram tomadas como diretrizes para a urbanização desse logradouro, quando passou a contar com espelho d’água e chafariz. Foi tombada pelo Conselho Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico Cultural do Paraná (CEPHA) em 08 de dezembro de 1.974 

Praça Sete de Setembro

Integrante do conjunto de quatro praças que compõem a elipse central do traçado original de Londrina, abriga monumento homenageando o Papa Pio XII e uma estátua da Imaculada Conceição, padroeira de Londrina.    

Praça Tomi Nakagawa

A praça está implantada em terreno remanescente do leito do antigo pátio ferroviário de Londrina. Inaugurada em junho de 2008, em comemoração aos 100 anos da imigração japonesa no Brasil marcado pela chegada do navio KasatuMaru. Sua denominação homenageia uma das integrantes e última sobrevivente deste primeiro grupo de imigrantes. TomiNakagawa, cidadã honorária do Paraná, residiu em Londrina nos seus últimos anos de vida. Ela faleceu em 10 de outubro de 2006 aos 99 anos.

Praça Willie Davids

Integrante do conjunto de quatro praças que compõem a elipse central do traçado original de Londrina. Foi a primeira praça criada na cidade e desde a década de 1970, é parte integrante do Calçadão. Tornou-se já nos primeiros anos da colonização um centro financeiro da cidade pela localização de diversas instituições econômicas no seu entorno. Sua denominação homenageia o engenheiro e político Willie Davids (1893-1944), um dos propulsores da colonização do norte do Paraná através da Companhia de Terras.

Fim do conteúdo da página